Pombo

Abrigam-se e constroem seus ninhos em locais altos como prédios, torres de igreja, forros de casas e beirais de janelas. Alimentam-se de grãos e sementes e se adaptam ao alimento fornecido pelo homem.

Prevenção:

- Evitar alimentar os pombos;
- Consertar falhas em estruturas que permitam a nidificação dos pombos;
- Vedar as bordas entre os telhados e a laje para impedir o acesso dos pombos nesses espaços;
- Construir um parapeito com inclinação de mais ou menos 45º para impedir seu pouso.

Danos Causados:

Transmitem uma série de doenças graves, como por exemplo, a criptococose e a toxoplasmose. São também responsáveis pela disseminação de piolhos (PIOLHO DE POMBO) causadoras de uma doença que, em contato com a pele, pode provocar vermelhidão, coceira e pequenos inchaços, semelhantes a picadas de mosquitos.

Limpeza dos Locais Infestados:

As fezes dos pombos são consideradas elementos de alta propagação de microorganismos patogênicos, a limpeza dos locais infestados constitui medida prévia obrigatória em qualquer ação de controle.

É recomendado o umedecimento das fezes com água sanitária ou outro desinfetante, procedendo-se, então, a limpeza e descontaminação do local.

O uso de máscara protetora ou pano úmido protegendo as vias respiratórias (boca e nariz) é de extrema importância, pois a inalação das partículas de fezes ressecadas pode induzir a ocorrência de doenças como histoplasmose, criptococose e psitacose. Como medidas de segurança, a destinação sanitária dos resíduos e a utilização de bactericidas específicos auxiliam na descontaminação do local.

Manejo das Aves:

Os pombos são animais protegidos pelo IBAMA, não sendo permitido exterminá-los. Dessa forma, realizamos Manejo Integrado de Pombos implantando projetos como a instalação de barreiras físicas, palestras de conscientização, entre outros.

Voltar