Carrapato

No Brasil, as infestações por carrapatos-estrela são observadas a partir de março até julho, podendo permanecer no ambiente até seis meses sem se alimentar. Após a fixação no hospedeiro, elas iniciam o repasto. Depois do repasto, as larvas caem no chão e procuram abrigo para realizar a muda para o estágio de ninfa. Ao encontrar o segundo hospedeiro, essa se fixa e inicia um período de alimentação de aproximadamente 05 a 07 dias quando, completamente ingurgitada, se solta do hospedeiro, cai no chão e realiza a segunda muda.

Após aproximadamente 25 dias emerge o adulto (macho ou fêmea jovem). Esta fase é observada durante os meses de outubro a março e os adultos podem permanecer sem se alimentar por até dois anos. Nesta fase macho e fêmea fixam-se, acasalam-se e a fêmea fertilizada inicia um processo de ingurgitamento que finda num prazo de 10 dias. As fêmeas se desprendem do hospedeiro, caem no solo para realizar postura única (5000 a 8000 ovos) iniciando uma nova geração.

Prevenção:

Depende do tipo da fase do carrapato e do local onde se encontra. A higiene e o monitoramento do local é muito importante.

Manter o gramado ou mato aparado próximo aos locais de criação dos animais e áreas de circulação do homem para impedir a incidência de carrapatos.

Em áreas infestadas por carrapatos, como gramado ou pastos, evitar sentar no solo e expor partes do corpo desprotegidas à vegetação. Ao entrar nestes locais, utilizar roupas claras que facilitam sua visualização.

Danos causados:

É o principal transmissor da febre maculosa no Brasil. As infestações são mais freqüentes nos meses secos e frios (larvas e ninfas); em geral produzem intenso prurido, com formação de lesões nos locais das picadas.

Voltar